Menu

Poemas de ...





Soneto Improviso
30Set2015 17:15:26
Publicado por: ../..
Faço sonetos como quem respira
Mas se não fizer também não sufoco
Da minha veia tudo sai tudo se tira
Quando num soneto eu me foco

Por um soneto faço das tripas coração
Entrego o corpo e com a cabeça faço amor
E quem assim ama o soneto com a razão
Com a razão e corpo vive-o com dor

E se porventura me fundir com ele
Se me deixo tornar o ser do seu ser
Logo me faço mestre e aluno dele

E assim um soneto faço a respirar
E respirando para não morrer
Um dia nele hei-de ressuscitar:

Leia mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=299615 © Luso-Poemas
Faço sonetos como quem respira
Mas se não fizer também não sufoco
Da minha veia tudo sai tudo se tira
Quando num soneto eu me foco

Por um soneto faço das tripas coração
Entrego o corpo e com a cabeça faço amor
E quem assim ama o soneto com a razão
Com a razão e corpo vive-o com dor

E se porventura me fundir com ele
Se me deixo tornar o ser do seu ser
Logo me faço mestre e aluno dele

E assim um soneto faço a respirar
E respirando para não morrer
Um dia nele hei-de ressuscitar:

Leia mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=299615 © Luso-Poemas

Leia mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=299615 © Luso-Poemas

Faço sonetos como quem respira
Mas se não fizer também não sufoco
Da minha veia tudo sai tudo se tira
Quando num soneto eu me foco

Por um soneto faço das tripas coração
Entrego o corpo e com a cabeça faço amor
E quem assim ama o soneto com a razão
Com a razão e corpo vive-o com dor

E se porventura me fundir com ele
Se me deixo tornar o ser do seu ser
Logo me faço mestre e aluno dele

E assim um soneto faço a respirar
E respirando para não morrer
Um dia nele hei-de ressuscitar:

 

JSL
 



Partilhar:

Artigos Relacionados
Soneto Filho da Puta


Para poder comentar necessita de iniciar sessào.